quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Quebec Radio Cowboy

Parece que o processo de compra e venda de uma empresa, com raras exceções, é igual em qualquer parte do mundo. Você, operário padrão, é sempre o último a ser informado das negociações e o pouco que sabe é graças à rádio peão. Na empresa onde trabalho, a situação não é diferente.
Desde ontem, Mehdi, meu colega de trabalho, chega de mansinho até minha mesa e, em tom de sigilo (ainda não entendi por que todos guardam segredo sobre um assunto que não é mais mistério para ninguém!), vai deixando escapar em que pé andam as negociações, quem comprou quem, quando seremos todos demitidos, enfim, detalhes sórdidos que acompanham uma negociação do gênero. Para quem não sabe, desde abril especula-se sobre a venda da empresa onde trabalho. Acredita-se que chegaram a uma negociação final, embora nada tenha sido oficialmente anunciado.
Eu, na condição de funcionária que não apita nada dentro da empresa, abro as orelhas e escuto o que Mehdi, minha principal fonte no esquema da rádio peão, tem a dizer. Como nada é certo e tudo é sigiloso, o que temos no final das contas é fofoca, especulações e a suspeita acumulada há meses de que não vai sobrar pedra sobre pedra.
Da minha parte, sigo executando minha tarefa como uma formiguinha, não abro a boca (até porque ninguém me pergunta nada mesmo) e faço cara de paisagem, esperando que os chefões anunciem a boa nova.
É chata essa falta de transparência da empresa? Sim, chatérrima!!!! E por enquanto a única alternativa que encontrei para me manter atualizada sobre o noticiário da empresa é ouvir os boletins diários do Quebec Radio Cowboy; ou em bom português, Rádio Peão do Quebec.

Nenhum comentário: